segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

PASSAGEM DO ANO


  Olhar para trás e ver
    Rastros de amores em vão
  Lágrimas à beira do caminho
 
  Olhar para trás
  E sentir a imensa nostalgia
 Que remonta as tardes findas de domingo
 E enfeita o sorriso dela
 
 Olhar para as histórias presas num passado
 Distante
 E perceber que já não dói mais
 
 Olhar para frente
 E ver o horizonte deitar ao mar
 O vento então suspirar novos sonhos de amor
 E enfim sorrir
 
Olhar para as mãos
E sentir que carrega um futuro 
Intenso e inteiro nelas
 
Compreender que o ano que vai
Deixa marcas
Mas abre caminhos para o que está por vir
 
E nas nuances dos segundos
Perceber que o abraço
É o mais importante laço
Da passagem do ano 
 
Ana Carolina Alencar


quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Voyerismo


 

Ele a espreitava ao longe.

Com o corpo desnudo,

Consumido pelos amores do cais,

Ela banhava-se nas margens do rio

Com o olhar perdido em águas profundas

 

Ele observava cada detalhe

Das curvas franzinas

Da triste moça

O seu desejo aumentava

A cada gota que deslizava

Sobre as coxas da jovem

 

Como um vício do prazer

Tornou-se um hábito

Observa-la todos os dias

 

Certa vez tomou coragem

Aproximou-se da mulher

Que tanto admirava

Apoderou-se da fragilidade dela

 

Amou-a com veemência

Partiu

Sem olhar pra trás

Deixando-a com as dores do cais

segunda-feira, 25 de março de 2013

O Salto

Ela sorriu. Finalmente, livrara-se de tudo que a aflingia. Deixou sua alma voar. Desceu seu corpo ao chão.

Ana Carolina Alencar