quarta-feira, 19 de julho de 2017

Poesia Urbana


Poesia apressada
A passos longos
Das calçadas estreitas
Das horas aflitas

E a saudade maneirinha...

Do ruir dos calçados
Em tempos apertados
Da saia assanhada
Do cabelo desbaratado

E a saudade branda...

Poesia breve
Da insonia às três da matina
Do café às quinze pras seis
Dos braços solitários
Do olhar cansado

E a saudade própria...

Do amor orçamentário
Da felicidade hermética
Da prosperidade cética

E é só saudade.











quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

O que levo de 2016

Assim meio franzino, meio tímido o ano foi surgindo, mais um ano se iniciaria, a sede do novo na vida permeava meu corpo.
Com o passar dos meses, foi mostrando sua cara, deixando suas marcas. Levando o que era velho e não servia mais, trazendo novos desafios, novas sensações, fui reviver sentimentos que nem imaginei ser capaz de sentir outra vez.
 Resgatei a mim mesma que por um tempo andava perdida meio sem rumo. Tentei me encaixar no outro em vão, vão este que reabriu um abismo e eu quase me atirei, me segurei, me controlei e deixei partir. Em contrapartida, entendi minhas vontades, respeitei meus erros, perdoei a mim, como jamais havia feito antes.
Enamorada de mim, deixei a alegria tomar conta da minha vida, empurrando medos e frustrações para debaixo do tapete, desvendando mistérios. Sorri! Sorri leve até mesmo na hora do Adeus. E amei... profundamente, tão profundamente que o presenteei com o voo da liberdade, mesmo que isso me corroesse por dentro, deixei ir. E isso não desmanchou meu riso bobo, das coisas à toa e doces que foi nosso encontro. Intenso e verdadeiro. Verdadeiro a palavra que busquei e questionei o ano inteiro. O que é de fato real? A vista com toda sua parcialidade, ludibria os cegos, que é impossível ver além da margem, não se permite mergulhar no rio perene das relações frutíferas, a superficialidade definindo personalidades. Pobre daquele que não vê a pluralidade da pessoa, se prende a falácia e a maldosas distorções e não se permite tocar a pérola incrustada no interior da ostra.

Aprendi acima de tudo a me preservar e a não me importar mais se não conseguem ter empatia com o meu jeito. Se por vezes, para uns não há beleza em meu sorriso, por mais espontâneo e vivo que seja, não faz mal, algum dia, haverá alguém que fechará os olhos e pensará tão somente nele. Se meu amor pela  literatura e meu apego pela cultura outrora são entediantes e chatos para alguém, para outro pode ser o que há de mais interessante em mim. E se meu linguajar muitas vezes chulo e meu comportamento despretensioso e desapegado de pudores pode para uns ser apenas uma manifestação da vulgaridade,  para outros pode ser a forma mais genuína do meu eu. A questão é que se o outro tem dificuldade de enxergar o meu valor , isso é problema dele e não meu. A paz que eu sinto de expressar tão bem a mim, ninguém me tira e é isso o que verdadeiramente importa.

2016 foi um ano de autoconhecimento, de me aproximar e conhecer pessoas que hoje são mais que essenciais na minha vida, de me abrir para o novo. Quebrei a cara ? Muitas vezes, mas não me arrependo de nada, porque fui entregue a tudo que fiz e me esforcei, viu! E se não deu certo, tenho a consciência limpa que fiz tudo o que estava ao meu alcance e até mesmo arrisquei o impossível.

Assim esse ano se vai, florescendo o melhor de mim deixando o gosto na boca de que 2017 irá me surpreender ainda mais

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Àquela pessoa especial

Hoje eu sonhei com você, sabia ?
Sonhei que me dava um abraço daqueles bem apertados, de arrepiar a alma. 
Senti saudades daqueles tempos em que acordava na ânsia de te encontrar e quando te via me desmanchava por completo. Acho que você nem imagina o quanto eu gostava de você! Algo bem difícil de expressar em palavras! Engraçado que eu podia jurar que era recíproco, e quero crer sempre que foi sim!
Fiquei remoendo várias cenas sabe, do nosso dia a dia, pra tentar entender em que momento eu perdi você, mas nunca consegui achar uma resposta. Porque nem sei se algum dia te ganhei. E embora a gente tenha tido muitas desavenças, momentos em que eu sei que você não quis mais olhar na minha cara ( nem imagina o quanto doeu em mim) eu ainda te guardo aqui no peito com muito carinho.
Só Deus sabe o quanto eu pedi pra gente dar certo, mas não foi assim que aconteceu né!
Mas, sabe ,não me arrependo de nada, eu sofri, eu aprendi, amadureci. Sou outra pessoa depois de você e todos enxergam isso em mim! Eu gosto de quem eu sou agora! Da mulher que as cicatrizes de gostar de você me fez! Sou bem mais feliz! 
Talvez se a gente tivesse dado certo eu jamais iria ser tão completa como eu sou hoje.
E se um dia no acaso te encontrar gostaria de te agradecer por me fazer tão intensa! E espero que esteja bem e realizado e que encontre amor até maior do que eu poderia oferecer a você!
Porque a vida é assim mesmo . É encontro desajustado que nos entrega ao outro e desencontro pra gente achar a nós mesmos.
Aí de vez em quando vem essa saudadezinha pra lembrar o quanto é bom amar a alguém.
Eu sigo meu caminho ,meu caro, esperando a pessoa que mereça toda intensidade do meu eu . E só peço que quando lembrar de mim,esqueça todo o rancor e me tenha como carinho manso como eu tenho você! Quero ser a brisa leve e doce que aquece seu coração em tom de nostalgia ! 
Porque pra mim você sempre será o abraço apertado que aquece a alma e a lembrança que acalenta alma em fim de tarde.
Segue o teu caminho em paz que eu sigo o meu tranquila e bem demais
Sim, o destino sabe o que faz



domingo, 30 de outubro de 2016

PRECISAMOS FALAR SOBRE O MACHISMO

Já faz um tempo essa questão tem sido recorrente na vida e tem me incomodado bastante, tenho evitado me manifestar nas redes sociais sobre o assunto, porque ,de fato, não estava preparada para ouvir certos comentários preconceituosos do tipo " Mal comida", " feminista azeda", " coisas de encalhada".

O fato é que a nossa sociedade é muito agressiva com as mulheres e acho que em todos os sentidos. Todos os dias somos bombardeadas com padrões de beleza, comportamento que devemos ter ou até ridicularizamos escolhas que deviam ser pessoais, nos deixamos nos levar por falácias que não vemos o quanto isso pode ser nocivo a nós mesmos.
Não há respeito pela nossa autonomia somos vadias demais, recatadas demais, submissas demais, independentes demais, mal amadas, mal comidas  enfim...

Outro dia sai com uma amiga e tive o desprazer de ouvir que homem quanto mais velho fica mais interessante e que a mulher depois dos 35 anos já não servia mais. Acho terrível ser tratada com tanto descaso, a ponto de todos meus sentimentos, minha personalidade, minha essência serem descartados aos 35 anos ( auge da vida) por uma parcela de gente, que pode não me considerar sexualmente atraente aos 35 anos ou mais. E o pior é que eu sei que isso não é uma opinião isolada.

Há alguns dias, li diversos textos, e até me deparei com uma nova modalidade profissional os chamados "Coach de relacionamentos" em que 90% dos textos, vídeos e "whatever" são ensinamentos de como uma mulher deve se adequar para conquistar o homem que queira, aconselhando comportamentos que nós deveremos adotar para conquistar o "tal" o homem desejado. Acho um absurdo pessoas se aproveitarem da carências e sofrimento das outras pessoas para lucrarem com isso, ditando regras que anulam a essência da mulher e a massificam, transformando-a em mera mercadoria.Deplorável.
Um outro assunto recorrente entre minha roda de amigos foi a questão da insistência. Para o homem é totalmente aceitável insistir quantas vezes achar necessário para ficar, transar e fazer o que quiser com a mulher. " Ele só está seguindo o seu instinto", e mesmo quando a insistência atinge o limiar da agressão moral, ainda assim é aceitável. Porque é tolerável que um homem não entenda um " não" como um " não " mesmo? Não necessariamente a garota está fazendo " cú doce" para algumas coisas, não é perfeitamente plausível que ela simplesmente não queira de verdade fazer determinada coisa e isso não tenha nada a ver com inseguraça, autoestima ou qualquer coisa do gênero?
Mas por um outro lado, se é mulher quem insiste em ficar, transar ou fazer qualquer coisa com um homem ela não passa de uma chata, desesperada, grudenta, sem amor próprio. Não passa pela cabeça de um homem que talvez ela também só esteja seguindo seus instintos? Que isso talvez nem haja sentimento envolvido? Da possibilidade de vivenciar um momento espontâneo sem que isso signifique um compromisso? E porque não pode ser algo natural?

E mesmo que a pessoa goste ? Não é bom alguém gostar de você? A pessoa que enxerga suas melhores qualidades e minimize seus defeitos? Talvez  a essência humana seja desvalorizar quem realmente se importa com você, para correr atrás de quem não faz questão da sua presença e até prefere humilhá-lo. Porque depreciar uma mulher que sabe o que quer e vai atrás? Preferem rastejar por mulheres indiferentes que assumem postura "frigida" diante da menor intenção do rapaz e que fornecem apenas migalhas de demonstração de interesse?

Enfim, a única coisa que me consola nesse machismo todo que homens defendem com afinco, é que se um homem deixar de ficar com uma mulher bonita e atraente ou é viado ou inseguro por ter dotes pequenos

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

O gostar sem porque

Ele me intriga
Gosto do jeito que olha pra mim 
E do sorriso dele
De como ele presta atenção em tudo o que eu falo
Gosto da sua voz quando pronuncia meu nome

É engraçado como a gente se dá tão bem
Como a conversa flui
E como ele descomplica as coisas
A gente ri fácil de tudo

Gosto do jeito que me abraça
Sinto até a alma arrepiar
E de como faz o sofrimento ser passageiro
Gosto do meu eu natural na sua companhia
E da facilidade de contar segredos

Da confiança que ele passa
E de como posso estar vulnerável sem temer
Porque no fundo ele me protege

Gosto da paz que trouxe à minha vida
E de como perdoa meus erros
E esse " não sei o que " que a gente tem
Que lá bem profundamente
Eu sei que sente também

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

A delicadeza da flor

As flores desabrocham na primavera
Suas pétalas enlançam o sorriso
Dos olhos amantes
Que se negam ao se tocar
E se desejam ao partir

As palavras veras
Perdem-se ao vão
No silêncio das almas
Enlouquecem os sãos

Em sonhos se beijam
Em luzes sobejam
Carecem de atos
Para concretizar os fatos

E a vida peleja
A unir dois corações
Que em primavera estejam
Em outras estações

A flor que desabrocha
É a mesma que se fecha
E abre as paixões


Ana Carolina Alencar

domingo, 4 de setembro de 2016

A hora da partida

É estranho como o tempo faz mudar as coisas, e as vezes algo que nos era essencial já não nos servem mais. Alguns encantamentos são como brisa, desnorteiam nossos sentidos e depois passa, voando ao longe. Tem momentos que não conseguimos enxergar a nossa vida distante de alguém, e com o tempo, esses momentos abrem espaço para um caminho em que essa pessoa não lhe cabe mais. Isso não quer dizer que ela seja menos importante ou menos especial, apenas que deixa de ter e ser razão em si.

Um dia alguém me disse que as coisas se encaixam do jeito que tem ser, a principio achei que era uma maneira de se esquivar da própria vontade, mas depois vi que a vida segue um fluxo que a gente não consegue conter, as vezes as coisas acontecem e funcionam, outras não.
Tentar entender o porque de tudo é apenas um modo de prolongar o sofrimento daquilo que não dá certo, quando na verdade, com o tempo, os fatos clareiam e as explicações vêm espontâneas.

A gente amadurece sabe, tem horas que as ilusões desapegam e vão morar no universo das lembranças, os momentos ruins se apagam e fica só o saudosismo das alegrias instantâneas. A gente deixa ir, deixa a distância se aconchegar no peito, e tudo bem se o coração do outro for se abrigar em outro lugar.

A vida é assim né, uma metamorfose insanamente constante . Então, deixe o vento levar... E na leveza do compasso desfazer o abraço e guardar na memória uma bela história de quem te fez sorrir